Categorias de cursos em destaque
Blog

Saiba tudo sobre os pontos gatilhos e como tratá-los.

A presença de pontos gatilhos representa uma realidade comum para muitos indivíduos, influenciando negativamente a qualidade de vida e a funcionalidade muscular.

Estes pontos sensíveis e contraídos, frequentemente associados a dores locais referidas, surgem como resultado de diversos fatores, incluindo lesões, estresse e atividade física repetitiva. A compreensão dos efeitos dos pontos gatilhos no corpo torna-se essencial para direcionar abordagens terapêuticas eficazes.

Veremos neste artigo o que são os pontos gatilhos, compreenderemos como eles podem afetar negativamente o nosso corpo e como a liberação miosfascial ajuda a solucionar esse problema. Apresentaremos também um curso indicado para quem deseja se profissionalizar nesta área. Vamos à leitura?

O que são pontos gatilhos miofasciais?

Os pontos gatilhos são regiões específicas nos músculos esqueléticos que se tornam sensíveis ao toque e frequentemente estão associadas a nódulos palpáveis.

Esses pontos são conhecidos por causar dor localizada e, em alguns casos, dor referida, onde a sensação dolorosa é percebida em uma área diferente daquela onde o ponto gatilho está localizado.

Outros sintomas frequentes são espasmos musculares, fraqueza muscular, formigamento, entre outros.

As áreas mais afetadas pelos pontos gatilhos são a cabeça, o pescoço, cintura escapular, lombar e cintura pélvica. Eles podem gerar sintomas crônicos como cefaleia, dor na mandíbula, dor nos olhos e zumbido no ouvido.

Essa condição pode surgir devido a diversos fatores, incluindo lesões musculares, estresse, atividade física intensa e postura inadequada.

Os pontos gatilhos são caracterizados por contrações musculares sustentadas, o que pode resultar em diminuição da circulação sanguínea local e acúmulo de substâncias químicas nocivas.

Esses fatores podem provocar sensibilidade e irritação no local, desencadeando dor. A compressão desses pontos por meio de massagem ou terapia de liberação miofascial visa aliviar a tensão, restaurar a circulação sanguínea e reduzir a dor associada.

É importante notar que os pontos gatilho miofasciais podem contribuir para padrões de dor complexos e até mesmo influenciar condições musculoesqueléticas crônicas.

O tratamento eficaz muitas vezes envolve uma abordagem multidisciplinar, que inclui fisioterapia, exercícios específicos e, em alguns casos, medicamentos para controlar a dor.

A compreensão desses pontos gatilhos e a aplicação de técnicas adequadas de manejo são essenciais para promover o alívio e melhorar a funcionalidade muscular.

Por isso, é sempre recomendado buscar um profissional especializado e capacitado para identificar os pontos gatilhos e indicar o tratamento ideal para cada caso.

Quais são as causas dos pontos gatilhos?

A formação de pontos gatilhos está frequentemente relacionada a fatores como:

  • lesões musculares;
  • estresse;
  • postura inadequada;
  • atividade física repetitiva;
  • falta de exercícios físicos;
  • alterações no sono;
  • deficiência de vitaminas.

Como os pontos gatilhos afetam o corpo?

Os pontos gatilhos miofasciais afetam o corpo principalmente por meio da geração e perpetuação da dor. Quando esses pontos se formam nos músculos, eles podem causar uma variedade de sintomas, incluindo dor localizada, sensibilidade, restrição de movimento e, em alguns casos, dor referida em áreas distantes.

Os efeitos nocivos dos pontos gatilhos são amplificados pela contração muscular sustentada e pela redução da circulação sanguínea na área afetada. Isso leva à acumulação de substâncias químicas que provocam irritação, contribuindo para a sensibilidade e a dor.

Além disso a presença de pontos gatilhos pode influenciar padrões de movimento, levando a compensações musculares e potencialmente resultando em disfunções musculoesqueléticas a longo prazo.

Os impactos não se limitam apenas à dor física: os pontos gatilhos também podem contribuir para a fadiga muscular, dificuldade de concentração e distúrbios do sono.

O tratamento eficaz geralmente envolve técnicas de liberação miofascial, massagem, exercícios específicos para fortalecimento e alongamento, além de abordagens para reduzir fatores desencadeantes, como estresse e má postura.

O gerenciamento adequado dos pontos gatilhos é essencial para melhorar a qualidade de vida e promover uma função muscular saudável.

Quais são as características dos pontos gatilhos?

Uma característica frequente em alguns pontos gatilhos são a presença de pequenos nódulos subcutâneos. Ao ser pressionados, podem provocar dor ou alívio do incômodo.

Além disso, também há queixas constantes dos pacientes em relação a fraqueza e dificuldade de movimentação da região afetada.

Como se identifica o ponto-gatilho?

Para a identificação do ponto-gatilho, o profissional especialista deve realizar a palpação da região afetada com o objetivo de identificar áreas sensíveis ao toque, contrações ou a presença de nódulos.

O toque sobre um ponto-gatilho pode provocar dor muscular, ou sensação de irradiação da dor para outras áreas.

Um ponto-gatilho ativo pode provocar fraqueza e dor espontânea, sem a necessidade do toque. Essa dor costuma ser distante do local de origem.

Já o ponto-gatilho latente só apresenta dor mediante a palpação. Essa dor pode ocorrer no próprio local de origem, ou ser irradiada para outras áreas. Esse caso também apresenta fraqueza muscular.

Existe tratamento para pontos gatilhos miofasciais?

Sim. Antigamente, o tratamento para os sintomas de dores geralmente envolvia o uso de analgésicos, que só serviam para mascarar os sintomas. Hoje em dia essa prática é considerada inadequada, com o agravante de poder causar vício.

Com o avanço da medicina tradicional e alternativa, hoje podemos tratar os sintomas dos pontos gatilhos com uma série de terapias, entre elas:

  • Liberação Miofascial – Terapia de Pontos Gatilhos;
  • Agulhamento a Seco;
  • Acupuntura;
  • Tratamento com ondas de choque.

A Liberação Miofascial é um tratamento muito procurado pelos pacientes. Nela, os pontos gatilhos são tratados de forma manual ou instrumental. Pode ser usadas vibrações, ventosaterapia ou exercícios físicos.

A liberação miofascial provoca uma pressão sobre o ponto-gatilho, impedindo o fluxo sanguíneo intenso. Por meio de um processo de isquemia provoca-se o espalhamento do sangue, aumentando a oxigenação do músculo lesionado. Dessa forma, obtemos uma melhora do processo inflamatório na região.

A duração do tratamento pode variar de acordo com a gravidade do caso e com os hábitos de vida diária do paciente. Pode ser necessária uma mudança de hábitos, incluindo, por exemplo, maior atividade física.

O objetivo do tratamento é reabilitar a liberação muscular. Esse músculo precisa “reaprender” a contrair e relaxar, sem sentir estímulos nocivos. Ou seja, ele não deve identificar o tato, a vibração, ou mudanças de temperatura como algo doloroso.

Porque considerar a liberação miofascial?

Ao buscar uma cura para os pontos-gatilhos, a consideração da liberação miosfacial se torna importante devido aos benefícios significativos que essa técnica pode oferecer no tratamento de pontos gatilhos miofasciais e condições musculares relacionadas.

A fáscia é o tecido conjuntivo que envolve e conecta os músculos. A liberação miofascial visa relaxar essa camada, aliviando a tensão e melhorando a mobilidade.

Ao realizar a liberação miofascial, seja por meio de técnicas manuais ou instrumentos especializados, é possível romper as aderências e nós nos tecidos da fáscia, reduzindo a rigidez muscular e melhorando a circulação sanguínea local. Isso, por sua vez, contribui para a redução da sensibilidade nos pontos gatilhos, aliviando a dor associada.

Além disso, a liberação miofascial pode promover uma melhor amplitude de movimento, prevenir compensações musculares e melhorar o desempenho atlético.

Essa é uma abordagem não invasiva e muitas vezes complementar a outras terapias, proporcionando alívio eficaz para aqueles que lidam com desconforto muscular crônico.

Considerar a liberação miofascial como parte do tratamento para pontos gatilhos oferece uma estratégia abrangente para restaurar a função muscular, melhorar a qualidade de vida e promover uma recuperação eficaz.

Como posso aprender mais sobre pontos gatilhos?

Para quem tem interesse em trabalhar na área de saúde, mais especificamente com o tratamento dos Pontos Gatilhos, a Núcleo Cursos em Blumenau-SC oferece o curso ideal. Trata-se do Curso de Liberação Miofascial – Terapia de Pontos Gatilhos.

Com um formato presencial intensivo de dois dias (20 horas/Aula), o curso oferece conhecimentos teóricos e práticos sobre as técnicas de liberação miofascial e terapia de pontos gatilhos.

A formação busca capacitar os alunos na identificação e tratamento dos pontos gatilhos – pontos de tensão e restrição na musculatura e fáscia, com o objetivo de aliviar a dor, melhorar a mobilidade e promover o equilíbrio musculoesquelético.

As aulas teóricas contam com recursos multimídia, aumentando ainda mais a interação entre os alunos e facilitando a assimilação do conteúdo. Os alunos recebem uma apostila ilustrada contendo todas as técnicas ensinadas no curso, para consultarem sempre que desejarem.

A parte prática das aulas corresponde a 75% do curso. Nelas, os alunos realizarão as atividades entre si, sob a supervisão do professor. Assim, eles podem aplicar imediatamente o que aprenderam em sala de aula e desenvolver as suas habilidades.

Ao final do curso, os alunos recebem um Certificado de Conclusão válido em todo o território nacional, que comprova sua competência na área de Liberação Miofascial e atesta que pode atuar em clínicas em qualquer região do país.

Conclusão

Em conclusão, a consideração da liberação miofascial é um elemento fundamental no manejo dos pontos gatilhos miofasciais. Ao aliviar a tensão nos tecidos da fáscia, esta técnica proporciona não apenas alívio da dor,  mas também melhoria na mobilidade e na qualidade de vida.

A abordagem holística, integrando a liberação miofascial a estratégias como exercícios específicos e controle de fatores desencadeantes, destaca-se como um caminho promissor para reataurar a funcionalidade muscular e promover um bem-estar duradouro.

Você deseja se tornar um especialista em pontos gatilhos? Então matricule-se já no Curso de Liberação Miofascial – Terapia de Pontos Gatilhos da Núcleo Cursos!

Sumário
Matérias Relacionadas
Preparamos este artigo especial para explicar o que faz um cuidador de idoso. Vamos conhecer mais sobre a profissão e entender de uma vez por todas qual a função do cuidador de idosos e todo o trabalho requisitado para este profissional.
Mas afinal, para que serve a limpeza de pele? Esta prática vai além da simples remoção de impurezas e cravos. Ela desempenha um papel crucial no combate aos efeitos do acúmulo diário de resíduos, poluição e oleosidade que podem obstruir nossos poros. Através dela, alcançamos uma pele mais saudável, luminosa e revitalizada, promovendo não apenas a estética, mas também o bem-estar e a autoconfiança.
Se você tem interesse em seguir essa carreira, investir em um curso de barbearia de qualidade e desenvolver suas habilidades técnicas e interpessoais pode abrir portas para um futuro promissor neste campo em constante evolução.